Um trecho

Você minha prima e irmã, companheira leal... Obrigada por cada cinema, cada confidência, pela primeira visita ao mar, pelas noites em minha casa quando meus pais estavam fora, por me entender quando eu não ia a sua casa, por limpar a minha casa, por ir comigo ao Carrefour, por acolher e tornar seus os meus amigos... Obrigada por cada segundo seu de vida. Sei que posso contar contigo. você vai vencer.

Rock, ainda estamos juntas, este é apenas um recomeço. Obrigada pelo que fez sabendo sem saber. Sei que entende!

Tia Mamusca, sinto muito por causar essa briga em você. Sei que está duelando consigo mesma. Parte me admira e precisa de mim, a outra está decepcionada, confusa, brava, inquieta. Um recado: um detalhes não estraga. há características em você que eu não gosto, mas você é mais que isso! Seja qual for a sua postura, eu entendo. Obrigada por cada conversa, cada filme assistido e discutido juntas, obrigada por me fazer sentir-me importante.



Escrito por Sininho às 18h59
[] [envie esta mensagem]



Anormal

É tão estranho e tão bom ao mesmo tempo.
Antes era algo distante. Ficção de cinema, tv, livro... Antes era cantado de maneira inpensada, admirado apenas como um refrão bonito.
Agora, não mais.
É tão fácil de se notar...
É ir comprar um bombom e trazer dois.
É odiar a distância que separa.
É não ter medo de enfrentar.
É curtir cada detalhe.
É não se cansar de conversar, de esperar, de procurar, de lembrar, de relembrar, de pensar, de olhar, de sentir, de ir buscar.
É gastar dinheiro sem pensar.
É procupar-se com tudo.
É estar sensível a tudo.
É ouvir músicas pensando.
É observar bebês brincando.
É procurar um buraco sonhando.
É desejar viver entre o vermelho e o amarelo.
É saber lidar com rispidez e a impaciência.
É quase surtar com uma viagem e maravilhar-se com outra.
É querer gostar de café.
É sair cedo e voltar tarde.
É não contentar-se com uma tarde.
É chorar... chorar muito!
É querer inovar.
É planejar o futuro conjunto.
É querer dar presente.
É discutir as despesas.
É discordar ás vezes.
É comemorar os meses.
É mandar tomar remédio.
É querer acompanhar ao médico.
É ter ciúme sem querer ter.
É achar graça quando se é motivo de ciúme.
É aprender ensinando... ou ensinar aprendendo.
É escrever para ler.
É completar-se quando junto.
É ter o melhor cheiro do mundo.
É almejar ser/oferecer o melhor.
É falar junto.
É ter passos iguais...
Passos iguais que, finalmente juntos, irão percorrer o mesmo caminho.

E... pode ser sabor morango! ;)



Escrito por Sininho às 18h42
[] [envie esta mensagem]



Continuar tentando...

Vez por outra levamos um tombo. Ás vezes é um tombinho besta, levantamos sem pensar e seguimos. Há pressa. Muita pressa.
Em outras vezes a queda é mais forte. A recuperação é mais lenta.
O que te afeta?
A nota baixa na prova ou trabalho?
Não conseguiu a vaga no vestibular?
A menina que não quer mais ficar com você?
O menino que não quer ficar só com você?
A reprovação na prova de direção?
Alguém importante não nota sua tristeza?
O mundo não te endente?
Não há lugar pra você?
Quais são as suas reivindicações? Por que elas te faltam?
Tem gente que grita, chuta, esperneia numa situação desesperadora.
Eu sempre grito. Principalmente quando estou quieta.



Escrito por Sininho às 18h37
[] [envie esta mensagem]



Um dia de mãe para refletir

Meu irmão e eu estamos muito acostumados a ficarmos sozinhos.
Fomos criados assim, para sermos independentes.
Hoje gosto muito disso, mas confesso que já me senti muito sozinha!
Sempre que meus pais vão viajar nós ficamos sozinhos. Na maior parte do tempo, ele no quarto dele e eu no meu.
Sempre fiquei responsável por ele, mas nunca havia me sentido responsável por ele... Confuso?
Vou explicar.
Nós dois temos o sistema imunológico muito forte, é difícil ficarmos doentes... Mas quando ficamos... É coisa séria!
E nesse último final de semana, que ficamos sozinhos, meu irmão ficou doente e eu tive meu dia de mãe!
Isso me fez refletir bastante.
Pensei muito nele e na nossa relação. Pensei na importância que ele tem pra mim e o quanto é urgente ele saber disso.
Somos muito distantes... Eu achava que era pela diferença de idade mas não... Transmiti pra ele as dificuldades que tenho na relação com meus pais...
Lembrei do quanto gostava quando minha mãe vinha sentir minha temperatura quando eu estava com febre... Notei que ele também gosta quando faço isso... Notei que ele também sofre com a ausencia da minha mãe e também com a minha... (Para ele já são duas ausencias somadas!)
Foi muito interessante levá-lo ao médico, perceber que ele se sente seguro comigo, sentir que eu represento muita coisa pra ele.
Percebi isso a tempo, graças a Deus! E graças a você também... Estou aprendendo muito com você... e sei que você ainda vai me ajudar muito com isso!



Escrito por Sininho às 18h24
[] [envie esta mensagem]



Sobrevivência heróica num mundo selvagem

Seu abalo emocional é notável...Mesmo sendo uma mulher de fibra, sua alma foi violentada. Ela está triste, como alguém que foi ferido profundamente. O susto foi grande.
Eu estava conversando com uma amiga quando a segunda linha tocou. Atendi e veio a notícia paralisante:

"-A mãe foi assaltada! Levaram o carro e tudo o que havia dentro dele... (...) Não, fica tranquila, o cara não machucou ninguém. A mãe foi com o tio para a delegacia."

Assaltos, assassinatos, crimes dos mais diversos (e haja diversidade!) acontecem a todo momento, eu sei! Todos têm uma experiência pra contar, eu sei! Mas com a minha família foi a primeira vez e sim, estou revoltada!
Três horas depois (mais ou menos) o policial ligou dizendo que tinham encontrado o carro. Corri e liguei onde pude até encontrar minha mãe e dar a notícia.

"-Mãe, fica calma.
-Eu estou bem, só estou emocionada porque tudo acabou bem: ninguém saiu ferido e já encontraram o carro, graças a Deus!"

Foi uma longa espera até ver minha mãe chegar. Desci correndo, queria confortá-la com o calor do meu abraço o quanto antes! No entanto o abraço não foi como eu queria (incrível como nem acontecimentos como esse conseguem derrubar esse muro de gelo que há entre nós duas!).
Agora o telefone não pára. Ouço a mesma história sendo recontada a cada telefonema. Todos querem saber os detalhes da barbárie. Em consolo sempre as mesmas frases:

"Você teve sorte de recuperar o carro interinho!"
"Pelo menos encontraram o carro rapidinho..."

Até quando vamos nos consolar usando para isso suposições de desfechos piores?? Por que a injustiça é tão facilitada num país campeão de taxas tributárias??
Minha mãe está em transe. Olhar desanimado, fundo, triste. Não conseguiu dormir.
Mas, vamos com calma, poderia ser pior.

Música do momento:

"Quem me dera ao menos uma vez,
acreditar por um instante em tudo o que existe,
acreditar que o mundo é perfeito
e que todas as pessoas são felizes!"
Índios-Legião Urbana



Escrito por Sininho às 13h48
[] [envie esta mensagem]



Pensamentos e palavras... Atos e omissões...

Consegue sorrir e chorar ao mesmo tempo? Eu consigo. Li a carta de novo e, apesar de já ter decorado cada palavra, me emocionei ao ler a descrição das cenas. O modo como você percebe meus sentimentos em pequenos gestos me comove. Sua sensibilidade me encanta...
Será verdade? É tão mágico que chego a duvidar...
Se for sonho que ninguém desperte...Se for fábula, por favor não pare de contar...Se for filme, que tenha continuação... Se for livro, deixe-o aberto e releia constantemente... Se for quadro, não canse de contemplar... Se for um lugar, visite-o sempre... Se for uma data, que seja especial e comemorada em qualquer dia... Se for uma viagem, que seja de mochila nas costas, que dê a volta ao mundo e dure a vida toda... Se for água, que seja do mar... Se for azul, que seja do céu... Se for raio, que seja do sol...Se for animal, que tenha sete vidas... Se for para fugir, que seja para um buraco...


*************************************************

Qual o seu tipo de amor?

"Judas, mais do que nenhum campeou a fineza do amor de Cristo. Ora vede: definindo São Bernardo, o amor fino, diz assim: 'Amor non quaerit causam, nec fructum' ==> ' O amor fino não busca causa nem fruto!' Se amo porque me amam, tem o amor causa. Se amo para que me amem, tem fruto... e amor fino não há de Ter por quê nem para quê! Se amo porque me amam é obrigação, faço o que devo. Se amo para que me amem é negociação, busco o que desejo. Pois como há de amar o amor parar ser fino? 'Amo quia amo, amo ut amem' ==> 'Amo porque amo e amo para amar'. Quem ama porque o amam é agradecido, quem ama para que o amem é interesseiro, quem não porque o amam nem para que o amem, esse é só fino..."
Pe Antonio Vieira



Escrito por Sininho às 13h40
[] [envie esta mensagem]



Fragmento de um momento

É muito cedo ainda. Barulhos de ônibus. Telefones tocando. Últimas instruções. Abraços. Lágrimas ao se despedir. Eu odeio quando alguém chora e as outras pessoas se mantêm duras, descriminando as lágrimas do outro, que por sua vez, tenta conter suas emoções ao máximo. Como se fosse proibido.
Nós desaprendemos a sentir, por isso quando o outro sente nos envergonhamos e repreendemos. A emoção nos comove. Algo inesperado. O humano está se desumanizando.
Último olhar. Um aceno.

Retirado do meu caderninho com dois anjinhos na capa. Onde descrevo cenas que presencio e que me instigam de alguma forma.



Escrito por Sininho às 12h02
[] [envie esta mensagem]



Começando a viver...


Durante muito tempo vivi como uma pessoa morna.
O que seria uma pessoa morna?
Na minha concepção, uma pessoa morna não vive as coisas intensamente. É como se estivesse no mundo só observando os acontecimentos sem vivenciá-los verdadeiramente. Eu era assim.
A maioria das pessoas me enxerga como alguém muito inteligente, uma expert em comportamento. Uma pessoa que tira de letra os problemas da vida, pois sempre tem um conselho na ponta da língua para ofertar a quem precisa. Uma garota de 19 anos mas muito madura. Uma menina de opinião formada. Uma pessoa extremamente segura.
Venho informá-los: eu não sou assim.
Sim, sou inteligente... Sim observo e aprendo muito sobre o comportamento humano... Sim, eu sempre tenho conselhos para dar... Sim, me considero uma jovem madura... Sim, sou uma pessoa segura... Mas acreditem, nada do que sei consigo usar comigo.
Falo especificamente do amor.
Eu era a pessoa mais cheia de teorias sobre o amor que eu conheço. Dona dos conselhos mais infalíveis. Por me considerar uma pessoa segura sempre achei o ciúmes um sentimento descartável. Era fria o suficiente para encarar o "grude" como um exagero. Não me dava o direito de sofrer por amor... Com a saudade ou com a perda... E não conseguia entender quem sofria com esses sentimentos.
Eu era o meu centro. Nada poderia me ultrapassar. Acima de tudo estava eu. Ninguém merecia me causar ciúme. Ninguém merecia que eu sofresse com a perda, com a saudade. Ninguém merecia minha atenção por muito tempo. Ninguém merecia uma lágrima minha.
E por ser assim, eu era uma pessoa morna. Que não nunca tinha vivido o amor. Nada tinha sabor pra mim. Nada era intenso. Não havia necessidade de ninguém. Não havia esse gigantesco prazer na hora do reencontro. Não havia esse constante pensamento na pessoa amada. Não havia planos. Não havia gosto nos filmes e músicas românticas.
Qual o maior sentimento de todos? Qual é a válvula que move a vida?
O amor...
Eu não estava vivendo e nem percebia... Era uma pessoa morna.
Hoje vivo. Alguém me mostrou o amor, como é amar e como é ser amada. Intensamente...
Conheço a dor da saudade, o medo da perda, o prazer do reencontro, a satisfação em fazer planos conjuntos... Sou ciumenta e deliciosamente grudenta! É magnífico chorar por alguém e ver alguém chorando por estar feliz... Feliz por que você está ali junto... Feliz por ter você!
Não é esse o sentimento mais nobre de todos? Não é esse o motivo da nossa existência?
Então... Agora vivo... Você me deu a vida! Você desperta o que há de melhor em mim.
E é para você que agora eu vivo. É por você que respiro. É por você que choro desenfreadamente. É para você que me declaro facilmente. É você que muda meus conceitos. É você quem me emociona. É você quem eu quero encontrar sempre que posso. É com você que eu quero fugir. É com você que eu quero envelhecer. É você quem pára o meu mundo. É com você que estou aprendendo a amar...
Vou errar muito, ainda estou aprendendo... E se eu te machucar... Por favor, me perdoe! Você é o que há de mais valioso na minha vida. Não me perdoaria se te perdesse, ou se te ferisse. Quero te cuidar... Retribuir-lhe todo o bem que me faz.
Posso te amar assim?
Para sempre?


Obrigada... Imensamente obrigada... por tudo!

**************

Como é o amor?

É paradoxal.
É uma alegria e um sofrimento.
E é fantástico por isso!




Escrito por Sininho às 18h55
[] [envie esta mensagem]



Vida Mediana


Já vivi várias situações na quais me senti uma pessoa medíocre.
MEDÍOCRE: 1. Médio ou mediano. 2. Que está entre o bem e o mau. 3. Ordinário. 4. aquele que tem pouco talento, pouco merecimento. 5. Aquilo que tem pouco valor.
Vou contar a mais recente.
Eu estava no ônibus (lugar onde geralmente leio, ou penso na vida, ou observo a feição das pessoas tetando adivinhar no que pensam ou para onde estão indo... Ás vezes faço as três coisas ao mesmo tempo!), totalmente pré-ocupada com meus problemas. Eu deveria estar de cara feia, muito feia mesmo. Quando fico assim me sinto insuportável.
Logo minha pré-ocupação foi interrompida. O ônibus havia parado em um ponto, mas estava demorando mais que das outras vezes para voltar ao caminho. Foi então que minha atenção se voltou para a porta.
Duas moças estavam entrando. A primeira era ESPECIAL e a outra muito atenciosa, cheia de cuidados com a primeira. Esta ( a primeira ), estava muito sorridente. Tinha um sorriso lindo! Lindo porque era gratuito. Ela o ofertou a todos. Primeiro ao motorista, depois ao cobrador, depois foi a vez do moço que estava na minha frente, e então, chegou a minha vez.
Todos retribuíram seu sorriso. Eu também tentei, mas a alegria tão simples que vinha dela envergonhou a minha insastifação com a vida e eu só consegui repuxar um pouco os lábios, formando um sorriso médio, mediano, medíocre, de pouco valor...
Lá estava eu... Perfeita fisicamente, porém imperfeita no estado de espírito: chateada por estar sem trabalho, irritada por ter 4 dias de prova pela frente, enraivecida com o pc quebrado e de mal com o coração (ele só apronta!).
Na minha frente a moça ESPECIAL. Classificada como deficiente na maioria das vezes. Estava calma, aproveitando o passeio, sorrindo constantemente. Só ficava séria para ouvir as instruções da companheira atenciosa.
Naquele momento me senti 10 vezes menor. Notei que tenho uma vida mediana. Será que nossos sorrisos são reflexos de nossas vidas? SORRISO MÉDIO= VIDA MÉDIA?
Preciso aproveitar melhor o meu tempo... Não me pré-ocupar com nada e sim me ocupar com tudo ( o que valer a pena ), mas na hora certa.



Escrito por Sininho às 13h33
[] [envie esta mensagem]



Um recomeço...

 

Escrever sempre me fez muito bem.

Agora estou recomeçando...

Recomeçando do jeito que queria...

E agora,

sem pudores!



Escrito por Sininho às 10h56
[] [envie esta mensagem]



[ ver mensagens anteriores ]





Meu perfil
BRASIL, Mulher, de 20 a 25 anos, Música, Livros
MSN - sininhoneverland@hotmail.com



 


Histórico
16/07/2006 a 22/07/2006
09/04/2006 a 15/04/2006
19/03/2006 a 25/03/2006
05/03/2006 a 11/03/2006
12/02/2006 a 18/02/2006
08/01/2006 a 14/01/2006
11/12/2005 a 17/12/2005
27/11/2005 a 03/12/2005
20/11/2005 a 26/11/2005
06/11/2005 a 12/11/2005
23/10/2005 a 29/10/2005
16/10/2005 a 22/10/2005
09/10/2005 a 15/10/2005
02/10/2005 a 08/10/2005
25/09/2005 a 01/10/2005
18/09/2005 a 24/09/2005
04/09/2005 a 10/09/2005
28/08/2005 a 03/09/2005
21/08/2005 a 27/08/2005
14/08/2005 a 20/08/2005
07/08/2005 a 13/08/2005
31/07/2005 a 06/08/2005


Votação
Dê uma nota para meu blog


Outros sites
Olívia Keeling
Coisikas di Mindu
Marcela
Sabor de Gente
Tributo a Paz
Divina Doidivanas
Fusas sincopantes pedem coda